O DESPERTAR: CONTANDO HISTÓRIAS ATRAVÉS DAS MÍDIAS POR MEL KEPEN

Atualizado: Jan 12


O plástico é encontrado em toda parte e em tudo. Esta realidade afeta o planeta. Quanto mais aprendemos sobre essa realidade da poluição plástica, mais fortalecidos nos tornamos na batalha para mudá-la.


" Afinal é mais fácil a gente querer proteger algo que a gente vê e ama, do que aquilo que é desconhecido."



Quando começou a questionar o mundo e o grande problema da poluição por plástico?


Tive a sorte de estar em volta do oceano praticamente a minha vida toda e isso sem dúvidas moldou a maneira em qual eu vejo e me relaciono com o meio ambiente. Desde cedo percebi que tudo está interligado e que a saúde do nosso planeta depende de um balanço delicado e harmonioso entre nossos ecossistemas. Sendo alguém que passa a maioria do tempo trabalhando e brincando nas praias e na natureza, minha consciência sobre o problema do plástico foi crescendo ao longo do tempo. Mas foi quando eu comecei a morar em um veleiro na Califórnia que realmente me dei conta do tamanho e da gravidade do problema. Morando literalmente no mar em uma marina, eu deparava com grandes quantidades de lixo flutuando debaixo do barco e me dava uma sensação desesperadora. Eu saia correndo com uma vara que havia uma rede e retirava o que conseguia da água. Em 2018, eu e meu parceiro partimos para uma viagem de 8 meses de veleiro e durante a nossa jornada ficamos chocados com a quantidade de lixo que encontramos em alto mar e em praias desertas. Vimos também muitas redes de pesca abandonadas, enroscadas nos corais e nos animais marinhos. O nível de devastação que vi foi assustador e me afetou profundamente. Desde então, ficou claro que queria dedicar meu tempo e meu trabalho na preservação dos oceanos.


When did you begin to question the world’s enormous plastic pollution problem?


I've been lucky to have always lived near the ocean throughout my life and without a doubt that has molded how I see the environment and relate to it. From a young age, I realized just how interconnected everything is and how the health of the planet is dependent on a fragile yet harmonious balance between its ecosystems. Being someone who spends most of her time working and playing near the beach and in nature, my consciousness around the issue of plastic grew over time. However, it wasn’t till I moved onto a sailboat in California that I truly came to understand the gravity of the problem. While living in the marina, I came across enormous quantities of plastic trash floating by and around the boat which left me with a feeling of despair. I would run to grab a net we had, and desperately try to scoop up what I could from the water. My awareness of the issue intensified in 2018 when my husband and I left on an 8-month sailing trip down the pacific coast of California and Mexico. During our journey, we were shocked by the amount of trash we came across out at sea and on desolate beaches. We also saw numerous ghost fishing nets drifting in the open sea catching numerous marine animals and others tangled up on rocky coral reefs. The level of devastation I saw was heartbreaking and affected me in a very profound way. Since then, it was clear that I wanted to dedicate my time and my work towards environmental preservation.



Você espera realmente mudar a opinião das pessoas, não apenas entretê-las. Qual é a sua abordagem?

Sempre gostei de observar o mundo pelas lentes de uma câmera e contar histórias através das mídias audiovisuais. Percebi desde cedo o poder que a fotografia e o cinema tem em comunicar idéias e transformar opiniões. Porém durante uma parte da minha carreira, fui aceitando projetos aqui e ali e me perdi ao longo do caminho. Os trabalhos com qual estava envolvida não estavam me preenchendo de uma certa forma. Eu não queria produzir algo somente para entreter, eu queria impactar. Ao longo dos anos, um desejo de usar meus conhecimentos para educar e trazer consciência sobre a conservação marinha e justiça ambiental foi crescendo dentro de mim. Com 40% da população global consumindo conteúdo online em diversas plataformas de mídias sociais e de streaming diariamente, nós ambientalistas temos uma ferramenta muito poderosa em nossas mãos. Acho que os meios de comunicação audiovisuais podem servir como uma ponte que interliga pessoas ao meio ambiente estabelecendo um sentimento de empatia mais profunda com os animais selvagens e ecossistemas precisando de proteção. No final das contas é muito mais fácil a gente querer proteger algo que a gente vê e ama, do que aquilo que é desconhecido. Agora vejo minha câmera como uma arma na luta da preservação do meio ambiente e espero não só educar e conscientizar as pessoas mais também inspirar uma nova geração de ambientalistas e “eco-warriors”.


As a content creator, you hope to change people's opinions and not just entertain them. What is your approach?


I've always liked observing the world through a camera lens and telling stories through various forms of visual media. From a young age, I realized the power that photography and film can have when it comes to communicating ideas and shaping opinions. However, during a period in my career, I was taking on numerous projects that pulled me in so many different directions, that I ended up feeling a little lost. Many of the jobs I was involved with simply weren’t fulfilling me in the way I had hoped. I slowly understood that I didn’t want to produce content that was merely entertaining, I wanted to make an impact. Over the years a desire to use my media skills to educate and bring about awareness about conservation and environmental justice began to grow inside me. With 40% of the global population consuming content online on various social media and streaming platforms, environmental advocates have a very powerful tool in their hands. I believe that media can serve as a bridge that connects people to the environment, establishing a greater sense of empathy for the wildlife and landscapes desperately in need of protection. At the end of the day, it is much easier for us to want to protect something that we can see and love, than that which is distant and unknown. Now I see my camera as a weapon, and with it, I hope to fight to change the way people interact with the natural world while also inspiring a new generation of environmentalists and 'eco-warriors'.



Você é velejadora, como suas viagens podem apoiar o movimento ambiental?


Acredito que existem muitas maneiras em qual não só eu, mas a comunidade do velejo como um todo pode apoiar o movimento ambiental. Para muitos de nós o mar não é só um lugar para brincar, é a nossa casa também. Durante minha última viagem pro México eu passei 8 meses dormindo e acordando no barco e tive muito tempo para observar e me conectar com o meio ambiente. Tudo fica mais devagar e você começa a se relacionar de nova forma com a natureza. Nos locomovemos principalmente ao vento, dependíamos do sol para recarregar nossas baterias, limitados a 70 galões de água fresca por semana, produzimos pouquíssimo lixo, e dependíamos da pesca muitas vezes pro jantar. Era uma vida muito simples, porém bastante sustentável e o nosso impacto no meio ambiente era mínimo. Precisamos usar o velejo não só como um meio de esporte e lazer mas como uma plataforma onde ideias, soluções e iniciativas voltada a sustentabilidade e a conservação podem transcender. Como exemplo, nós velejadores atravessamos mares que às vezes os cientistas, pesquisadores, biólogos marinhos, e ambientalistas não têm tempo ou recursos para acessar. Então podemos participar no movimento através de oportunidades como recolher amostras de água com micro-plásticos no meio do Oceano Pacífico ou registrar as temperaturas das águas ao longo dos trajetos e mandar para os laboratórios para serem analisados. Em minha próxima viagem quero apoiar o movimento ambiental através de projetos como esses e achar maneiras em que posso unir meus conhecimentos em velejo, cinema e sustentabilidade. Estou com ideias à borbulhar!

As a sailor, how can your trips and the sailing community support the environmental movement?


I believe there are many ways in which not just me, but the sailing community as a whole can take action to support the environmental movement. For a lot of us, the ocean is not just a place we go to play, it is also our home. During my last sailing trip to Mexico, I spent 8 months straight going to sleep and waking up on the boat which gave me a lot of time to observe and connect with the natural world. Time slows down and you begin to relate with nature differently and more deeply. We used the wind predominantly to get from one point to the other, depended on the sun to charge our batteries, we're limited to 45 gallons of water a week, produced very small amounts of trash, and depended many times on the 'catch of the day' for dinner. It was a very simple yet sustainable way of living and it felt fulfilling to know that our footprint on the environment was minimal. I believe we need to look at sailing as not just a form of sport and recreation, but a powerful platform where ideas, solutions, and initiatives around sustainability and conservation can transpire. As an example, many of us sailors cross oceans that aren’t as easily accessed by scientists, researchers, and marine biologists due to time or resource constraints. I would love to see more sailors participating in the movement as citizen scientists by gathering water samples for microplastic studies or registering water temperatures along a certain route. There is so much we can do as ocean ambassadors and it’s time for us to step up to the plate. On my next sailing trip, I hope to work with conservation initiatives like these as well as finding ways to combine my skills in sailing, media and sustainability. I've got a lot of ideas bubbling!

Algum projeto que você gostaria de compartilhar?


Estou completando um filme junto com a Ju Martins chamado “Children of the Sea”, que conta a história de uma ONG havaiana focada em ensinar as crianças sobre o mar e como protegê-lo. Queremos mostrar à importância da conscientização e no investimento na educação sobre o meio ambiente nas futuras gerações para se tornarem bons líderes de si. Em conjunção estou na fase de produção de um longa-metragem chamado “Amazonian Ecocide” que examina a atual situação sociopolítica e ambiental do Brasil em relação ao desmatamento da Floresta Amazônica. Os dois documentários serão lançados em 2021 e representam essa transição no meu trabalho. E por último, esse ano estou finalizando um curso de pós-graduação em Sustentabilidade na Universidade da Califórnia em Los Angeles.


Do you have any projects you would like to share?


I am just finishing a short documentary film together with Ju Martins called “Children of the Sea”, which tells the story of a Hawaiian non-profit that works to teach young kids about ocean safety, conservation, and stewardship. The film communicates the belief that if we can connect as many kids to the ocean not only will it save lives but it will also create a bond between the next generation and the ocean which in turn will ensure that the ocean will be taken care of. In conjunction, I am working on a feature documentary film called “Amazonian Ecocide” which examines the current socio-political and environmental situation in Brazil concerning the deforestation of the Amazon forest. Both documentaries will be released in 2021 and represent this shift towards conservation in my work. Lastly, I just finished a graduate program in Sustainability at UCLA

Como você reduz o desperdício de plástico em sua vida cotidiana?


Eu tento sempre seguir o ditado “Recusar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar” no meu dia a dia. Acho que o mais importante é recusar o uso do plástico quando possível através do uso de garrafas, copos, talheres, canudos e bolsas reutilizáveis. Eu também procuro sempre comprar produtos frescos com eco-bags e comprar produtos secos como arroz e feijão em lojas a granel. No geral antes de comprar ou consumir algo eu me pergunto: Isso é essencial? Por quanto tempo isso vai durar antes de virar lixo? É reciclável? Existe uma maneira melhor de consumir isso?


How do you reduce plastic in your everyday life?


I always try to follow the saying “ Refuse, Reduce, Reuse, and Recycle” whenever I can in my daily routine. I think the most important step is to first refuse the use of single-use plastics by switching to reusable utensils, bottles, cups, straws and bags whenever possible. I also always try to buy as many dry items in bulk and use reusable produce bags when shopping at the farmer's markets. In general, I always try to ask myself: Is this essential? How long will this last before becoming trash? Is it recyclable? Is there a better way to consume or buy this?

Se os oceanos pudessem falar, o que você acha que eles diriam sobre a poluição do plástico que enfrentam?

Queridos seres humanos. Está na hora de vocês entenderem uma coisa. Eu sou O Oceano. Eu cubro 75% desse planeta e sou a fonte para que todos os organismos do planeta, incluindo vocês, possam viver. Eu providencio ⅓ da sua comida e mais da metade do oxigênio que vocês dependem para respirar. Enquanto vocês queimam combustíveis fósseis e desmatam as florestas sem parar, eu faço o meu melhor para absorver os gases do efeito estufa para manter a temperatura do planeta habitável. Mas estou ficando cansado de te dar tanto e não receber nada além do seu lixo em troca. Se vocês continuarem me poluindo dessa maneira com seu consumismo inconsciente, eu não terei mas nada para dar para vocês. Cada ano que passa estou sendo forçado a retaliar com tempestades e chuvas cada vez mais devastadoras. Mas eu não quero fazer isso, quero viver em harmonia com vocês. Então peço que mudem seus hábitos e pensem em mim toda vez que consumir algo de plástico. Sejam mais sustentáveis na maneira de produzir, usar e reciclar seus pertences. Sejam mais responsáveis como embaixadores desse planeta. Porque no final das contas, eu não preciso de vocês, vocês é que precisam de mim.


If the Oceans could speak, what do you think they would say about the plastic pollution crisis they face?


" Dear Human Beings. It’s time for you to understand something. I am the Ocean. I cover 75% of this planet and am the source of life for all living things, including you. I provide one-third of your food and half of the oxygen you breathe. While you continue to burn fossil fuels and cut down all the forests, I try my best to absorb the greenhouse gasses to keep the planet cool and habitable. But I am getting tired of giving you so much and not getting anything but your trash in return. If you continue to pollute me like this with your blind consumerism, I will soon no longer have anything left to give you. Every passing year, I am being forced to retaliate with more and more devastating storms and floods. But I don’t want to do this, I want to live in harmony with you. So I beg you to change your habits and think of me whenever you consume something made of plastics. Be more sustainable in the ways you produce, use and recycle your belongings. Become more responsible ambassadors of this planet we all call home. Because at the end of the day I don’t need you, but you need me.


Qual sua criatura marinha favorita?


Eu tenho uma apreciação por todos os animais marinhos e sou fascinada com o papel de cada um dentro dos ecossistemas, mas se eu tivesse que escolher eu diria a Baleia Jubarte. Em nossa jornada de velejo em 2018 migramos do sul ao México junto com eles e sentimos a proteção e a energia que carregam ao longo do caminho. Muitas vezes conseguimos até escutar o cantar através do casco do barco. Um dia enquanto eu passeava sozinha de stand-up, uma mãe com um filhote subiram à superfície à uns 3 metros de mim quase me jogando da prancha com suas exalações poderosos. Ficaram ali do meu lado por uns 15 minutos, enquanto eu apreciava cada segundo daquele momento único. Foi incrível essa troca tão especial e ter tido a chance de sentir a energia deles tão de perto. Sem dúvida são animais extremamente mágicos e precisam da nossa proteção.


What is your favorite Marine Animal?


I have an appreciation for every marine animal and am fascinated with the role each one plays within the larger ecosystem. However, if I were to pick my favorite it would be the Humpback Whale. On our sailing journey, we migrated south together with them and could feel their powerful energy along the way. A couple of times we even got to hear them singing through the hull of the boat which was pretty incredible. One day while I was stand-up paddling alone, a mama and a baby came up to the surface just a couple of feet away from me almost whipping me off my board with their powerful blows. They stayed there for about 15minutes and I just sat there in awe of their beauty, cherishing every second. It was amazing to have an exchange like that and feel their energy up close. To me, they are without a doubt the most majestic creatures and need to be protected at all costs.





CONHEÇA MAIS: @mel.kepen

#SaveOurOceans #FenzBrazil


261 visualizações0 comentário
  • Facebook | Fenz Brazil
  • Instagram | Fenz Brazil
FALE CONOSCO
FAÇA PARTE

Junte-se à nossa lista de endereços e fique por dentro das novidades.

© 2021 Fenz Brazil. Todos os direitos reservados. CNPJ 10.693.780/0001-56